Ao continuar navegando neste site ou fechar esta janela, você aceita o uso de cookies destinados a realizar estatísticas de visitas, bem como lhe propor vídeos, botões de compartilhamento, anúncios personalizados e um serviço de chat. Para saber mais e configuração de cookies X

FR EN ES PT

O guia de viagens de Smif Advaizor, umacompilação de textos indispensáveis a todos os aventureiros do Mundo dos Doze, não podia deixar de fora essa ilha mítica, reduto de aventureiros que têm sede de emoções fortes... ou simplesmente querem molhar o gogó. Quer você se enquadre na primeira categoria, na segunda ou nas duas, vá correndo para Pandaluzia!

Kelba, Dezist, Bonta e até Moon: nessas últimas semanas, Smif Advaizor mostrou os quatro cantos do Mundo dos Doze para vocês! Para fechar com chave de ouro esta série de encontros em terras mais ou menos conhecidas, desta vez vamos levar vocês para visitar Pandaluzia, o lugar onde o preceito Eniripsa “para manter a saúde, é preciso beber ao menos 2 litros por dia” é aplicado ao pé da letra...

O BAMBUZAL

A subida do nível das águas provocada pelo Caos de Ogrest teve consequências dramáticas para o bambuzal pandaluz. A água salgada simplesmente destruiu as plantações de bambu. Sem falar dos efeitos particularmente nefastos para a saúde. Dizem que beber dessa água tornava intragável até o mais alegre dos Pandawas...

Felizmente, tudo isso ficou no passado... Hoje, as plantações de bambu estão mais saudáveis e vistosas do que nunca! Elas pairam majestosamente sobre o vilarejo e acabaram se tornando ponto turístico, uma parada obrigatória para todos os visitantes que passam pelas terras pandaluzas.

Muitos recém-casados e outros casais apaixonados vêm fazer seu retrato nesse cenário de cartão-postal que é o bambuzal. Mas atenção: o resultado varia em função da quantidade de leite de bambu consumida pelo artista.

O DOMÍNIO DE PANDIEGO DE LA VEGA

Figura emblemática de Pandaluzia, Pandiego de la Vega é como o bambu: ele se dobra, mas não quebra nunca. Assim, quando o Caos de Ogrest destruiu o vale, ele não se afogou em mágoas. Muito pelo contrário! O Pandawa encarou o problema de frente e resolveu criar uma espécie de bambu capaz de resistir à água salgada.

Foi no topo da colina da Pandaluzia, um verdadeiro refúgio poupado pelo cataclismo e onde o bambu ainda crescia intacto, que ele instalou seu laboratório. Só um aviso: antes de pôr os pés lá, verifique se seu cartão de vacinação está em dia...

O VILAREJO

O vilarejo de Pandaluzia, com sua bela área verde, agradará tanto aos poetas quanto aos pintores. E, mesmo se não for nem um nem outro, pode ter certeza de que ele revelará o artista romântico que há em você. Mais pitoresco, impossível!

Dizem que ele foi um pouco prejudicado pelo sal trazido por Ogrest. Mas é difícil de acreditar, já que as paisagens são estonteantes. A menos que a tontura seja um efeito colateral do consumo de leite de bambu em excesso...

Parada obrigatória durante sua peregrinação pelas terras pandaluzas: as tabernas. Nelas, encontramos uma grande variedade de leite de bambu com diferentes níveis de fermentação e sabores surpreendentes (como o leite de bambu aromatizado com rã, por exemplo). Mas seja prudente, pois os Pandissidentes que ficam na saída costumam ter a mão leve quando veem bolsas bem pesadas...

Boa estadia em Pandaluzia!

 

 

QUEM SOMOS NÓS?

Olá, meu nome é Advaizor Smif. Há mais de 500 anos, minha família trabalha no ramo do turismo e organização de viagens. Na Era dos Dofus, meu tatara-tatara-tatara-tatara-tatara-tatara... hum... meu ancestral Renibol Smif já dirigia a maior agência de viagens do Krosmoz: a famosa Agência de Turismo Classe A.

Hoje, eu recolho para vocês recomendações turísticas úteis feitas por viajantes novatos e experientes. Cada guia de viagem Smif Advaizor reúne milhares de críticas e conselhos turísticos feitos pelos próprios clientes de hospedarias, tabernas, restaurantes, locais de lazer e de atividades esportivas em todas as cidades e regiões do Mundo dos Doze.

Nosso segredo? Comentários 24 horas por dia vindos dos quatro cantos do Mundo dos Doze graças a um feitiço mágico exclusivo. Assim, os aventureiros que sabem esse feitiço podem “escrever” no ar com seus dedos para nos enviarem suas críticas a qualquer momento. Embora não sejamos responsáveis pelo teor dos comentários feitos, zelamos para que não sejam difundidas mensagens que pareçam (demasiado) ofensivas.