FR EN ES PT
Vinte Kamas para ir à ilha dos seus sonhos! Isso, sim, é uma oferta imperdível, não acha? Você só precisa pagar a passagem de barco no porto da sua nação uma vez, e passará a ser um turista pelo resto do ano! Tá, eu sei... Lá chove, é escuro e tem cheiro de fralda geriátrica. Mas o que você queria por apenas 20 Kamas?!
 

Ilha dos Monges

 
Essa ilha é habitada por velhos monges decrépitos e libidinosos. A higiene deles só perde para as dos ratos com quem vivem em harmonia, de forma quase simbiótica. É impossível dizer se são os roedores ou os Fraderrapadas que fazem esses barulhos horríveis. E acima de tudo, nunca confie nos Abades Mentes! Sua aparência frágil e seus mantos graciosos ocultam um bando de velhotes brigões que não pensarão duas vezes antes de lhe darem uma surra tão brutal, que você acordará no dia seguinte de ressaca. O fantasma de Dhan Sominik Kraust guiará você por essas terras inóspitas até o Sliptorium, onde a Freira amargurada governa os monges com punho de ferro.
 
Na época em que saía com a Freira de Sliptorium, Dhan Sominik Kraust sentiu como se precisasse mudar de vida. Convenhamos... Entre uma freira caquética e uma jovem bibliotecária com rostinho de anjo, o sacerdote não teve que pensar muito para tomar essa decisão. Infelizmente, a Freira os pegou jogando Salta-Papatudo... e a Freira não perdoa ninguém. Nunca, jamais. Furiosa, ela prendeu o casal, queimou-os até virarem cinzas e depois fez o mesmo consigo. Você acha que a vingança dela parou por aí? Até parece! Não contente em ter acabado com Dhan e a bibliotecária, o fantasma da Freira jogou a alma de seu ex-namorado no Sliptorium e trancou o corpo dele bem longe dali. Em seguida, voltou para torturar o fantasma da amante. Agora, ele precisará da sua ajuda para entrar lá e salvar sua jovem amada. Aproveite essa oportunidade para dar um safanão na Freira e tornar a missão ainda mais divertida!
 
 

Monstros da Ilha dos Monges

 
Mesmo que a ilha fosse habitada só por monstros, valeria a pena conhecer todo o charme de seu litoral. Infelizmente, a região é infestada por ratos fétidos portadores de várias doenças, e eles estão loucos para compartilhá-las com você! Quanto aos monges, eles andam um tanto enferrujados, mas continuam sendo adversários formidáveis. Por mais que a percepção deles não seja mais lá essas coisas, o poder de vontade continua imbatível como sempre.
 
 

Dica: como derrotar a Freira

 
A Freira é uma mala sem alça. Uma mala sem alça e de couro duro! Se você quiser acabar de vez com ela, precisará agir na hora certa. Você terá que dar conta da senhora e das invocações dela durante toda a batalha.
Pois é, como se não bastasse, a Freira também convoca aliados com uma frequência bem alarmante. No começo, ela se contenta em chamar uns poucos monges para perambular, bloquear seu campo de visão e drenar seus PV. O problema em si é que cada monge aumenta a resistência da Freira.
Trate de matar essas invocações o mais depressa possível, senão seus golpes mais poderosos farão tanto estrago quanto um arranhão de Lepowide.
 
Tudo certo até aqui? Ótimo! Mas não perca a Freira de vista, pois ela frequentemente entra em Concentração. Nesse estado, acontecem duas coisas para piorar de vez a situação. Primeiramente, a Freira passa a lançar o feitiço “Descarga Espectral”, que causa muito dano no início do próximo turno dela. Além disso, sempre que for atingida, a Freira causará 20% a mais de dano a cada acerto. 
Resumindo: se as mãos dela estiverem brilhando, mantenha a distância e pare de atacar! Vamos repetir para os Iops entenderem: mão brilhante = corra + não ataque.
 
Se você conseguir lidar com as áreas de dano, as invocações e os breves períodos de vulnerabilidade, o resto é mamão com açúcar!