FR EN ES PT
Procurar nos fóruns 
Rastreadores Ankama

[PROGRAMA] Entrevista com Corvo - 03/10/2014

Por Barlin#6260 03 Outubro 2014 - 20:55:22

Boa noite a todos!

Oferecimento Corvos de Efrim: Nós entregamos a sua mensagem.

Aqui quem fala é Noa D'Arca. São 20 horas e estou aqui, junto de nosso anfitrião Maupatrão no esconderijo desse clã tão polêmico para nossa QUINTA Entrevista com Corvo!

Hoje, entrevistarei nada mais nada menos que ele... líder de uma das poucas Guildas alinhadas ao Clã Rikartus. Idolatrado por uns e odiado por outros. Primeiro no ranking de combates entre aventureiros... KATAR!

Mal começamos e já temos uma platéia participativa.


Hey! Podemos participar da entrevista?


Claro, claro, podem se sentar aí, depois eu edito as informações para ficarem mais claras e zaz.

Quem é ele?


Eu sou o Noa D'Arca, o entrevistad-


Tô falando do outro cara aí, corvo!


Ele... *humpf* eu já disse quem ele é no início... com licença.


Posso começar, Katar?

  • Sim.

Como estás?

  • Tranquilo.

Primeiro uma dúvida que me ocorreu à pouco: alguém já te mandou se Katar?

  • Sempre. É até piada interna da guilda. hahahahah

HAHAHAHu3HAHAHAHAHAHu3HAHAHAHAHAHu3HAHA


Hahahaha... Falei que ele responderia sem problemas, produção.

Continuando com um ritmo diferente hoje: você tem a intenção de se tornar governador dos Riktus?

  • Sim, precisamos de um governo com urgência.


FULLIGEN: Sim! Precisamos de um governo! Quem vem para o clã não sabe o que fazer - ficam todos perdidos!


E qual seria a sua proposta de governo?

  • O que vejo em Riktus é que é uma nação mais voltada para as guerras mesmo, mas existem muitas pessoas mais fracas, que estão começando suas aventuras, que possuem dificuldades para evoluírem suas profissões.


FULLIGEN: hoje apanhei enquanto tentava pegar lenha em Bonta!


  • O que eu pretendo fazer é pegar uma aliança com uma das nações para que os aventureiros tenham um território para desenvolver suas atividades profissionais sem se preocupar com agressão.


*Pega o microfone*


ASUKA SORYU: Olá, sou o Asuka Soryu. Tudo bem eu fazer umas perguntas?

Claro... já pegou o microfone... rs.

ASUKA: Você pretende seguir os ensinamentos de Rikartus?

  • Eu pretendo sim seguir o rumo da destruição. Por isso a nação que eu gostaria de me aliar seria Sufokia - já que é a nação mais nula no quesito de agressões. Assim ainda sobraria Amakna, Bonta e Brakmar para enfrentarmos - e todos os novatos poderiam desenvolver suas profissões sem medo de retaliações.


NOA: Mas, no caso, esconder o brasão do clã já não resolveria o problema de desenvolver as profissões? Afinal, seríamos tratados como cidadões neutros, sem precisar nos preocuparmos com agressões ou a limitação do uso de drago-expressos e portchais.

  • No caso de (baixar a asa) esconder o brasão do clã, seria uma solução. Mas em quase todos os locais, quando um Riktus corta uma árvore ou planta algo, ele se torna fora da lei. Os Membros de Clã estão atentos, o que dificulta ainda mais para os aventureiros de primeira viagem que não conhecem a repressão das nações ainda. Eles ficam confusos por não saberem o porque que estão sendo agredidos. Eles podem até entender do conceito Rikartus de se divertir e viver a vida, mas nem sempre compreendem as conseqüências que isso pode trazer para eles.


ASUKA: De boa. É que não sei se você soube, já teve treta em Efrim. Contra Bonta. O governador Vince já declarou meio que uma guerra contra nós, os Riktus, por estarmos destruindo o ecossistema deles por quatro dias consecutivos.

  • Sim, mas a declaração não foi feita de forma direta e aberta, ainda.


FULLIGEN: somos uma arma forte de guerra, quem se unir a nós vera seus inimigos sucumbirem!!!


ASUKA: Na minha visão, as coisas estavam encaminhando para um tédio sem graça. Sem disputas. O crescimento do nosso clã (Rikartus) deu um novo sentido à todos, pois o que seria do herói se não existisse um vilão? O que você acha sobre isso, Katar?

  • Eu gostei muito da proposta do clã Riktus. Sempre odiei essa história de preservação do ecossistema. E vejo muito disso também.


NOA: Só que será que informá-los sobre o funcionamento do ecossistema, dos membros de clãs e da possibilidade de desenvolver suas profissões nas ilhas, que não tem leis contra nada, não seriam algumas das soluções mais viáveis para os novatos do clã?

  • Eu nunca liguei muito para as profissões. Sou bom como Faz-Tudo (level 80) mas só sei cortar Freixo. Como vejo muita gente reclamando dos Membros de Clã, ainda acredito que uma aliança resolveria esse problema de falta de território.


ASUKA: Sobre isso, acho que tem que ser aceito. Qual o sentido de ser Riktus e plantar ou colher algo e não ser fora da lei? Como você falou, eu sei que os novatos ficarão prejudicados, mas nós continuaríamos destruindo - o que é bom para nós, já que parte de nosso poder vem da destruição em si.

FULLIGEM: Junte-se a nós ou sofra a nossa ira!!!


NOA: Nisso eu discordo. Creio que as vantagens que os Membros de Clã locais nos dão valem até mais que as vantagens que nosso Clã dispõe no momento. Se ao menos pudéssemos eleger nosso governante através da destruição, teria mais sentido destruir desenfreadamente. Mas não funciona assim, toda via...

ASUKA: Eu achava que Bonta, o governo em si, era forte. Mas não durou três dias para o cara falar que não ia mais se candidatar, por conta dos Riktus destruindo a nação dele. Achei patético e bom.

  • Numa coisa devo defender o governo de Bonta: é muito mais difícil preservar do que destruir. Mas a escolha foi deles, as conseqüências também.


ASUKA: Concordo plenamente.

VINTEN: Acho que destruição de ecossistema não é motivo para guerra…


FULLIGEM: Bonta tem uma política opressora, e reflete em seus cidadões.


  • O que posso dizer é que, apesar de Riktus ter uma população pequena em comparação às demais, se tornou um clã muito forte em Efrim.

  • Já fui agredido uma vez, enquanto estava em grupo de seis pessoas. Quatro não entraram por serem de outra nação e terem receio das conseqüências (para quem não sabe, caso sua Guilda não esteja alinhada a uma nação, você não consegue se unir no PVP nem com o pessoal que estiver em seu grupo e forem de nações diferentes da sua).


NOA: Como acha que os Riktus deveriam agir perante as outras nações?

  • Acho que o nosso propósito dos é movimentar Efrim. Nossa postura é correta em nos aliarmos a uma nação e destruir as outras. Como não podemos nos aliar a ninguém ainda, destruímos tudo mesmo.


NOA: É... pensando assim, poderíamos cobrar para a nação que quisesse nosso apoio.

ASUKA: Poderíamos cobrar até mesmo para não destruí-los! Isso seria ótimo... seria bem Riktus. hehehe

CANABIDIOL: VIVA RIKARTUS!!!


  • Sim, sim... é um caso para se pensar.


NOA: Como é ter uma guilda inteira alinhada aos Rikartus?

  • Eu acho excelente. No início, nós juntávamos a galera toda para ir destruir o ecossistema das nações. A galera se divertia muito! hahahaha


Fulligen: quero entrar para a No Mercy!


ASUKA: hahahahahahha

  • E quando tem alguma confusão, todos se juntam. Agora mesmo, recebi uma carta sobre um pessoal que levou gang em Shudoku. Já chamaram o pessoal da guilda para dar o troco. Aí a galera vai em peso.


ASUKA: Um ponto em questão é que não adianta ter CEM bontarianos se seis Riktus dão conta deles. Porém, quanto mais, melhor. Ainda vejo daqui a algum tempo uma reunião de todos os Riktus em uma nação inimiga, botando nego para dentro da cidade… vai ser lindo.

NOA: Verdade, seria algo interessante de ver - apesar de não compartilhar a visão de Riktus seja sinônimo de destruição.

ANONIMO: Ué! Porque você está no Clã, então?!


NOA: Desculpe, mas eu não sou o entrevistado da vez. Todavia, como já renderam a produção aí no canto... acho que o Clã poderia se focar em coisas mais importantes do que somente destruição sem mérito. Agir como verdadeiros mercenários, cobrando pela segurança de uma nação ou ecossistema, por exemplo. Ou tentando focar em dominar todas as ilhas... mas claro, esse sou eu, que apesar de tudo não faz questão de participar efetivamente da vida política daqui. Gosto de ser um tipo de mídia independente de Efrim, e pretendo seguir esse plano sem dar muitos pitacos. hehehe

Voltando, mesmo sem o microfone ainda: A No Mercy teria algum objetivo em comum de todos os membros? Ou seria mais lutas e agressões mesmo?

  • Atualmente, estamos focados nas lutas com outros aventureiros (PVP / JCJ). Temos membros daqui que estão entre os primeiros no Rank geral de Efrim. Criei até um cargo na guilda chamado de Executor - quem está na primeira e segunda página dos Procurados (Ranking PVP) de Rikartos o recebe. São as pessoas que eu pretendo chamar no caso de Guerra.


*Finalmente consegue pegar o microfone de volta*


NOA: Bem interessante isso...

Vindo mais para a ferida em si: vocês, da No Mercy, tem algo contra Bonta em específico? O que seria?

  • Contra bonta nós não temos nada, mas como Bonta se diz a nação mais forte, nós gostamos de cutucar um pouco. hahahaha

  • Já rolaram alguns atritos, mas nada sério por enquanto.


FULLIGEN: Não ligamos para mérito! Vamos agredir os novatos bontarianos como retaliação!!

  • Sou contra agredir novatos.


VINTEN: Eu também sou contra.


  • Eu só agrido gente (de level igual) de força parecido para ganhar mérito, e também proíbo gang e agressões de novatos (level baixo) na No Mercy.


ABISMAL: Fulligen, vc é uma vergonha para qualquer aventureiro. Agredir mais fracos…


FULLIGEN: O que você esperava de um Zobal, Riktus? Sou psicopata, e tome cuidado para que eu não te agrida também.


  • Hahahaha é como ele se diverte jogando. Eu respeito, só não o aceitaria na No-Mercy.


NOA: Eu também acho descabido esse tipo de agressão. Independente de asa aberta ou fechada. Só espero que não surja nenhum "justiceiro" aqui para te agredir também, pois ele estaria fazendo o mesmo que você faz, aparentemente - visto que você não me parece dos mais fortes.

Bom, sem querer fugir do assunto: Para quem não sabe, Katar é o rank número um dos Riktus, e quem possui mais mérito em toda Efrim. Como conseguiu tantos pontos de mérito? Agressões aleatórias ou duelos combinados?

  • Só lembrando que no pvp, sou a favor do Um contra Um - uma luta justa. Tem quem discorde, mas essa é a minha opinião e é assim que eu luto.

  • Quanto à combinar duelos, acho muito sem sentido. Inclusive fiquei sabendo semana passada que algumas pessoas andam comprando méritos. Pagam para alguém apanhar para ele. Eu acho isso completamente sem sentido. E toda a minha fama eu consegui caçando aventureiros que tinham seus brasões à mostra, por todos os lados. Muitas vezes enfrentei dois de uma vez, por sinal - o que me rendeu ainda mais fama e reconhecimento (pontos de mérito).


XURCATSAR: Sei que cheguei atrasado, mas acabei de me tornar Riktus. Além de ser odiado e destruir o ecossistema, tem algo que eu possa fazer para realmente me favorecer em algo?


ASUKA: Mas o que seria do herói sem um vilão? Vivemos para a destruição, assim como outros vivem para a proteção!


DRAVEM: Posso fazer uma pergunta pessoal? Como somos Rikartus, nós não usamos drago-expresso. Sabem algum bom meio de movimentação?

  • Eu monto em meu Dragocorcel e corro pelos lugares. É até melhor para encontrar novas presas. hehehe


NOA: Caro Dravem, ao se tornar Fora da Lei, você perde o acesso aos Portchais e Drago-expressos. É preciso se entregar a algum cidadão da nação em si para deixar de ser fora da lei.

DRAVEM: Ouvi falar que estão reunindo os cinco mais fortes de cada nação para enfrentar os Riktus, é verdade?

  • Não sei, mas se for, será bem divertido.


ASUKA: Somos taxados de baderneiros, ignorantes e até mesmo doentes Hutres pelas demais nações, até mesmo no grupo Feici Bûk. O que acha disso, Katar?


  • Eu tenho a minha forma de me divertir e viver a vida. Eu respeito muito todos e incentivo minha guilda a fazer o mesmo.


NOA: Katar, você se considera um vilão de Efrim?

  • Creio ser meio termo. Vejo Bonta e o governo de lá como os verdadeiros vilões em Efrim.


NOA: Eita, porque eles?

  • Não sei, eles passam a impressão de serem opressores com a nação, com os membros das principais guildas sendo parte do governo. Alguns aventureiros que eram de Bonta saíram de lá e falaram algumas coisas que aconteciam por lá e eu não concordei.


DRAVEM: verdade, o Vince e mais dois me agrediram por colher plantas…


  • Alguns desses que fugiram de lá estão na No Mercy agora, e são Riktus, inclusive.


VINTEN: Cara, isso não é governar atacar quem tá prejudicando o meio ambiente.


  • Vez por outra o pessoal da No Mercy chama para defender eles de agressores. Eu acho isso bem legal.


ASUKA: Na realidade, Vinten, é função do governo erradicar quem está prejudicando a nação deles, assim como e a nossa função destruir lá.


NOA: Sei não... acho que a função do governo é informar sobre como funciona o Wakfu em si e sua nação. Alertar sobre recorrentes problemas e buscar por resoluções práticas. Quanto mais gente se envolver para resolver os problemas da nação, mais forte ela será.

Mas bom, a conversa está muito boa, mas tenho que encerrá-la - até porque a produção não está gostando de ser cutucada por espadas afiadas e tapas na bunda.

Posso fazer minha pergunta Bônus, Katar?

  • Pode.

NOA: Corta Bonta ou Amakna Brakmar - Sufokia Riktus irá?

  • Hããã? hahahaha


ASUKA: Melhor foi a resposta! hahahahahha
FULLIGEN: hahahahaha
VINTEN: Como? hahahahaha


Muito obrigado a todos, esse foi mais um Entrevista com Corvos! Espero que tenham gostado tanto quanto eu. Até a próxima!



Muito obrigado a todos que participaram! Apesar da entrevista ter parado aqui, a conversa continuou, e foi ótimo acompanhar a opinião de todos.


---------


*Algumas informações foram editadas a fim de ficarem mais claras, dinâmicas e divertidas*

Outras Entrevistas:

Vince Haiden 24.09.2014

Be Ka 15.09.2014

Druvon 10.08.2014

No Mercy 27.07.2014
0 0
Reações 6
Pontuação : 4

Poh cara sou teu fã, ótima matéria...

Ass. Fulligen, o Zobal Psicopata

0 0
Pontuação : 3

Parabéns!

Sucesso na carreira, jornalista!

Att;
Canabidiol

0 0
Pontuação : 4

Olhaaa Asuka, Dravem e Vinten famosos rolleyes 

0 0
Pontuação : 5

Muito bom, Parabéns pela iniciativa
att,
Vinten

0 0
Pontuação : 4704

Opa, obrigado, pessoas tudo!

Jornalista? Nunca pensei sobre o caso, mas quem sabe, né? hehehe

Que bom que gostaram. Curti bastante também a conversa durante a entrevista. Gostaria de ter incluído mais coisas, mas infelizmente é complicado quando não tem como copiar e colar o que é escrito no chat do jogo. E o ritmo de perguntar, ler e transcrever no bloco de notas acaba sendo bem frenético. rs

Só tenho a agradecer a presença de todos,

Att. Noa D'Arca

0 0
Pontuação : 117

Amei a entrevista!

Eu não postaria mais nada aqui, mas foi épico.

Parabéns à todos os envolvidos!

0 0
Comentar neste tópico