FR EN ES PT
Procurar nos fóruns 
Rastreadores Ankama

Mistérios do Wakfu - Dia dos Namorados Macabro

Por BentoPhd 30 Outubro 2020 - 14:49:43

Apresentação
"Olá por meio deste venho apresentar uma série de contos misteriosos nesse mês de halloween, espero que gostem, pois com o feedback deste determinará uma continuação, mas a proposta era de ser uma trilogia, se for bem vista quem sabe no próximo halloween nós teremos mais contos como esses.
Atenção: o conteúdo a seguir é de total independência baseado em teorias e boatos contatos pelos próprios jogadores sem nenhum tipo de conscientização pela equipe Ankama."

Olá amigos, hoje trago o último episódio de terror dos contos misteriosos do wakfu desse mês de halloween. Quando se falam de dia dos namorados muitos casais apaixonados buscam surpreender sua companhia seja lá com presentes, uma janta a luz e vela ou um passeio em um lugar romântico. No mundo dos doze não é diferente, existem lugares ótimos para fazer passeios com a melhor companhia que alguém poderia ter.
Existe um parque no centro da cidade de Astrub onde muitos casais apaixonados costumavam comemorar essa data, mas já se perguntaram o porque de estar sempre vazio aquele parque mesmo em tempos de festas se é um lugar bastante bonito? Pois bem, ele já foi muito mais frequentado até que em um certo dia uma tragédia aconteceu...

Dia dos Namorados Macabro

 Era primavera, as flores se abrindo, os tofus e pius cantavam e os papatudos tr... bem vocês sabem. Era um dia perfeito para um casal de eniripsa apaixonados passar um dia juntos em um lugar romântico, esse lugar escolhido foi o parque dos namorados de Astrub, eles passaram o dia juntos fazendo piquenique, uma velha senhora que estava passando ali entre eles os elogiaram dizendo que era um casal perfeito e perguntou se poderia pintar um quadro deles.

A jovem eniripsa achou uma ótima ideia, então eles concordaram, a senhora então sugeriu um lugar do parque onde poderia ser perfeito, eles aceitaram e foram pra arvore próximo do lago, a eni estava muito empolgada e olhava para seu namorado com um olhar de satisfação por estar muito bem e segura ao lado dele, enquanto a velha começava pintando eles. Alguns minutos foram se passando e o casal não aguentava mais segurar a ansiedade para saber faltava pouco tempo.

“Calma, calma, tudo no seu tempo.” Disse a velha por detrás do suporte onde pintava o quadro. Os poucos o eniripsa percebeu que sua namorada estava ficando pálida, ele então perguntou se ela estava bem, ela respondeu que não sabe dizer mas que estava se sentindo cansada, e desmaiou sem ter terminado a frase em seus braços, então ele em uma tentativa de reanima-la gritou seu nome a fim de acordar mas naquela hora já não havia mais pessoas no parque que pudesse ouvir os gritos enquanto ele chorava desesperadamente olhando para sua namorada.

Foi quando ele viu que que a velha senhora que estava pintando eles chegou perto dele, em choque, ele mal conseguia se mover só sentindo o peso do corpo dela em seus braços foi quando a senhora disse em seus ouvidos cada um tem o seu tempo e o dela acabou, e quando ele olhou para a senhora com uma voz diferente, ele viu que ela já não era mais nova como antes de pintar o quadro, ele ficou se questionando, “mas como isso é possível?”.

Então a mulher disse para ele ir buscar ajuda que ela ainda estava viva, então ele foi na direção da taverna onde era o lugar mais próximo do parque para pedir ajuda. Enquanto ele se distanciava a mulher gritou “vá, pois ela ainda tem tempo...”, e olhando apara a eni continuou a frase com um tom mais baixo, e “...e cuidarei desse tempo muito bem”.

De volta ao local com ajuda, o jovem eniripsa percebeu que a mulher e sua namorada já não estavam mais além do quadro pintado e alguns acessórios, mas “como assim??” o eniripsa se perguntou ao olhar para o quadro pintado do casal, pois nele não havia sua namorada, como se ela nunca tivesse existido. Com uma dor insuportável no peito ele grita bem alto com uma tristeza que só um grande ogro que perdeu sua amada poderia entender.


Desde então foi essa história que se originou a outros contos e boatos a respeito do parque dos namorados e que muitos moradores evitam passar tempo ali com sua companhia por ter medo do que essa mulher misteriosa possa fazer. Alguns ainda acreditam em ter visto a mulher saindo de dentro do lago procurando novos casais apaixonados para buscar mais tempo para si mesmo.

Sou grato por você ter lido até aqui, curta e compartilha com seus amigos se gostou para divulgar essa serie de contos de terror. Confira o conto anterior a esse que fiz, abaixo:

MISTÉRIOS DO WAKFU - NAVIO FANTASMA

0 0
Comentar neste tópico